Carnaval de rua
Entretenimento

Curiosidades: de onde veio o Carnaval?

COMPARTILHE AGORA!

Já dizia Jorge Ben Jor: em fevereiro, tem carnaval. A data, apesar de não ter sido criada no nosso país tropical, é uma das mais conhecidas, e o Brasil dá um show quando o assunto é Carnaval. Porém, o feriado também nem sempre acontece em fevereiro. E isso tudo vamos conhecer um pouco mais nesse artigo.

Curiosamente, o Carnaval está diretamente ligado à Igreja Católica. A celebração do Carnaval antecede os dias da Quaresma, que são os 40 dias antes de chegar a Páscoa. A palavra Carnaval, inclusive, vem do latim carnis levale, que em português significa “tirar a carne”. Isso provavelmente está ligado ao fator de que os católicos deveriam fazer jejum durante a Quaresma e controlar os prazeres do mundo.

Outros Carnavais

À princípio, a Babilônia pode ter sido o “berço” do Carnaval. Lá existiam as Sacéias, onde o prisioneiro assumia a forma de rei por alguns dias, fazendo o que um rei faz e com todas as suas regalias. No fim da festança, esse prisioneiro era chicoteado e depois enforcado.

Na Mesopotâmia acontecia algo parecido. O rei perdia seus poderes e apanhava na frente da estátua de Marduk. Essa era uma forma de mostrar submissão aos deuses, e logo depois o rei ganhava de volta seus poderes.

Uma versão bastante conhecida do Carnaval é o que acontecia na Grécia Antiga. Aconteciam festas que homenageavam Dionísio, deus do vinho, e esses eventos eram marcados por excesso de embriaguez e entrega total aos prazeres da carne.

Já na Itália, também temos versões que se assemelham bastante com o nosso Carnaval brasileiro. Em Roma, aconteciam festas chamadas Saturnálias, que duravam dias, regadas à muito álcool e comilança. Tinham carros alegóricos, chamados de carrus navalis, em formato de navio, e os romanos saíam pelas ruas a dançar, como nos bloquinhos brasileiros. Soma-se a isso os bailes de máscara e à fantasia que já eram muito comuns nessa época, especialmente em Veneza. A única diferença é que elas eram celebradas em dezembro.

Onde entra o Cristianismo?

Todas essas celebrações que citamos acima, eram festas pagãs. Como a Igreja na época tinha um poder gigantesco, claro que as festas não eram vistas com bons olhos. Foi então que, no auge da Idade Média, a Igreja Católica criou a Quaresma que conhecemos hoje, os 40 dias que antecedem a Páscoa. As festividades começaram a ser todas mais ou menos no mesmo período, e essa era uma forma da Igreja de permitir que as pessoas cometessem seus excessos antes do jejum.

Quem mais celebra o Carnaval?

Além de todas essas supostas origens do Carnaval, outros lugares do mundo também têm suas comemorações carnavalescas. Um ótimo exemplo disso é o Carnaval celebrado na cidade de Nova Orleans, nos Estados Unidos.

Conhecido como Mardi Grass, que significa Terça-Feira Gorda em francês, essa celebração começou por volta do ano de 1699, no estado de Louisiana. Quem levou a festança para os americanos foram os colonizadores franceses.

Diante de uma elite extremamente racista, os negros de Nova Orleans decidiram criar as próprias festas de Carnaval da cidade.

O desfile mais famoso do Mardi Grass é a Zulu Parade, um grupo que usa saias feitas de grama e tem seus rostos pintados de preto. Durante o desfile eles atiram cocos pintados à mão para o público, e a tradição diz que quem pegar terá boa sorte.

No Mardi Grass, as pessoas saem nas ruas fantasiadas, usando colares de contas em roxo, verde e dourado (representando a justiça, fé e poder) e usando as mais diversas cores em suas máscaras de gesso, fazendo desfiles com carros alegóricos ao longo da cidade de Nova Orleans. Apesar de se assemelhar bastante ao Carnaval brasileiro, inclusive na data, que é sempre mais ou menos junta, ele é muito mais inspirado nas celebrações francesas e italianas.

O Carnaval do Brasil

Mesmo sem ter nascido aqui, o Carnaval do Brasil é um dos mais famosos do mundo, e turistas de todo o mundo vem prestigiar a celebração.

Por aqui, a festa chegou com os colonizadores portugueses. Na época, pessoas atiravam ovos e farinha, água e tinta umas nas outras, essa brincadeira se chamava entrudo. Os africanos que estavam por aqui, faziam a festa com batuques de seu local de origem, misturando-se com os ritmos portugueses. E assim nasciam as marchinhas de Carnaval e talvez até mesmo o samba.

Com a repressão acabou com a prática de jogar quase tudo nas pessoas, e assim o entrudo acabou. E com isso, houve uma elitização desse comecinho de Carnaval: a elite e a família real organizavam bailes bem parecidos com os europeus, em clubes e teatros. Foi então que se criou o costume de jogar confetes, serpentinas e até flores, algo comum nos carnavais franceses.

No começo do século 19, começam a surgir as marchinhas de Carnaval. Acredita-se que a primeira é a famosa “Ô Abre Alas”, de Chiquinha Gonzaga. Dessa forma, o Carnaval começa a ficar cada vez mais popular aqui no Brasil, e nos anos 60 surgem os samba-enredo das escolas de samba.

Curiosidade: chamamos de escola de samba porque os fundadores da Deixa Falar, a primeira agremiação carnavalesca, de 1928, criaram-na em um bar em frente a uma escola. A Deixa Falar é hoje a Estácio de Sá, do Rio de Janeiro.

Carnaval Nordestino

Apesar de muito popular em lugares como São Paulo e Rio de Janeiro, o Nordeste do Brasil dá um show de Carnaval. Foi lá que surgiram os trios elétricos, inventados pelos músicos Dodô e Omar, no ano de 1950.

No lugar das marchinhas cariocas, no Nordeste a atração principal carnavalesca é o axé e as batucadas. Já em Pernambuco e Olinda, o que predomina é o famoso frevo e os bonecos gigantes nos desfiles.

Conhecidos como Bonecos de Olinda, eles também vieram da Europa. Na Espanha, havia o costume de fazer bonecos gigantes do rei e da rainha e desfilar pela cidade. Aqui no Brasil isso foi um pouco adaptado, e os bonecos são de figuras conhecidas, como jogadores de futebol, atores e atrizes, figuras políticas.

Como saber quando vai ser o Carnaval?

Todo início de ano rola aquela dúvida: o Carnaval vai ser em fevereiro ou março? Todo ano a festa começa em um dia diferente, então vamos mostrar como funciona esse “cálculo”.

A contagem começa sempre com a Páscoa. E a Igreja determinou que ela sempre será no primeiro domingo após a primeira lua cheia de março.

Sete dias antes da Páscoa, temos o Domingo de Ramos, e 40 dias antes dele, é a terça-feira de Carnaval. Isso significa que o Carnaval é comemorado 47 dias antes da Páscoa.

LEAVE A RESPONSE

O seu endereço de e-mail não será publicado.